Feeds:
Posts
Comentários

Archive for setembro \24\UTC 2010

Aqui, alguns exemplos de rápida evolução, que não necessitam de milhões de anos, nem transformam tipos em outros (como é pregado pelos evolucionistas ateístas), consistentes com o relato bíblico do Gênesis e que mostra, através da observação, que os animais diversificam-se rapidamente (a comparar com a escala evolutiva atual, de milhões de anos).

Sendo assim, pode-se explicar a biodiversidade atual pelo modelo do Gênesis, tanto do relato da criação quanto do dilúvio – não é novidade que temos até mesmo cristãos evolucionistas a questionarem como as “poucas” espécies conservadas na arca poderiam dar origem à toda a biodiversidade que temos hoje.

Lagartos sofrem rápida evolução após mudança de casa

Em 1971, biólogos levaram 5 pares de lagartos adultos da espécie Podarcis sicula de sua ilha natal Pod Kopiste, ao sul do mar Adriático, para a ilha vizinha Pod Mrcaru. Hoje (2007-2008), uma equipe internacional de pesquisadores mostrou que introduzir esta espécie de lagartos a um novo ambiente fez com que evoluíssem rapidamente e em larga escala.

“Diferenças significativas no tamanho e forma da cabeça, aumento da força da mordida e o desenvolvimento de novas estruturas nos tratos digestivos dos lagartos foram observados após apenas 36 anos, que é uma escala de tempo muito curta”, diz Duncan Irschick, professor de biologia na University of Massachusetts Amherst. “Estas mudanças físicas ocorreram lado-a-lado com mudanças dramáticas na densidade populacional e estrutura social”.

Mais informações no link indicado.

Surpreendendo lagartos a adaptarem-se

A vinte anos atrás, biólogos evolucionistas transplantaram pequenos grupos de lagartos da espécie Anolis sagrei da região de Staniel Cay, nas Bahamas, para várias ilhotas próximas, sendo que nenhuma destas possuía qualquer população de lagartos. Os pesquisadores esperavam que os répteis fossem extintos, mas de 10 a 14 anos depois, os animais aparentavam sofrer mudanças físicas que, com o tempo, poderiam tornar cada população das ilhas em espécies distintas.

Se as mudanças são genéticas, o estudo será uma forte evidência de que populações isoladas divergem por seleção natural, e não por deriva genética, como alguns teóricos defendem.

Rápida evolução cromossômica em camundongos de uma ilha

Madeira é uma pequena ilha vulcânica no Oceano Atlântico, com montanhas íngremes a separar vales estreitos, que são a única área habitável pór humanos e seus comensais. Aqui, nós mostramos que ratos domésticos (Mus musculus domesticus) na Madeira têm uma inesperada diversidade cromossômica, cuja evolução é independente dos processos adaptativos, contando mais com o isolamento geográfico e deriva genética.

Avaliação da taxa de evolução em populações naturais de Guppies (Poecilia reticulata)

As populações naturais de guppies foram submetidas a um episódio de seleção direcional que imitava os processos naturais. A taxa resultante da evolução da idade e tamanho na maturidade foi semelhante às taxas tipicamente obtidas para as características submetidas à seleção artificial em laboratório e até sete ordens de magnitude maior do que as taxas inferidas a partir do registro paleontológico.

Traços masculinos evoluíram mais rapidamente do que traços femininos em grande parte porque os machos tiveram maior variação genética sobre a qual a seleção natural poderia atuar. Estes resultados são considerados à luz do debate em curso sobre a importância da seleção natural em relação a outros processos no registro paleontológico da evolução.

Read Full Post »

Dei uma olhada no blog do Luciano Ayan hoje cedo e encontrei o vídeo acima. Nele, Dawkins dá um show de mentira e desonestidade, em mais um capítulo de sua empreitada, que seria, hipoteticamente, prender o papa – sob a acusação de “crimes contra a humanidade”. Lembremos que foi esse comportamento que o fez ser chamado de palhaço, por um órgão que não é sequer religioso.

O Luciano já identificou a desonestidade dawkinista na mesma entrada de seu blog*.

Mas não termina aí. Mesmo após a exposição da fraude (não é a primeira vez que Dawkins é refutado por causa de desonestidade), alguns ateus insistem em defender o pregador neo ateu.

Alguns exemplos já podem ser vistos na comunidade em que tenho debatido, neste tópico.

O forista Israel (ateu) diz (destacado):

Assisti ao vídeo, não percebi ou não prestei atenção na parte onde ele mente. Me desculpe.

(…)

Ainda bem que tem o Dawkins para fazer esse trabalho de confrontar. É bom que existam pessoas assim. Eu não teria o mesmo vigor que ele para defender o ateísmo.

Ou seja, ele alega que não viu a mentira de Dawkins, mesmo que tenha sido exposta em vários parágrafos pelo Luciano.

A discussão com um sujeito desses segue assim. Ele negará sempre que o pregador de ateísmo está errado, pois assim escusa de ter de defender as alegações.

É apenas técnica de impossibilitação de discussão. Ele irá fingir que não vê as mentiras, e irá prosseguir com o discurso. Porque o senso crítico ateísta (e principalmente neo ateísta) parece “travar” quando o discurso é a favor do ateísmo.

O outro participante do tópico é o Rodney, que segue pelo mesmo caminho:

Não tem poder de fogo e muito menos mentiras. Foi dita somente a verdade.

O que ocorre é que Dawkins ‘se atreveu’ a se portar da forma que a maioria dos ateus pretendeu, mas por uma razão ou outra, deixou para lá.

(…)

Eu, dentro de minhas limitações, estou nessa parada.

Ele diz que não há mentiras e que foi dita somente a verdade. Ou seja, só pode estar de palhaçada. Pois há 27 fraudes lógicas em um espaço muito curto (9 minutos), ou seja, temos uma média de 3 fraudes por minuto, uma a cada 20 segundos.

É mentira demais, até mesmo para Dawkins.

E então… Cadê o senso crítico dele e dos seus colegas ateus? É uma boa pergunta. Lembrando que estou contando apenas quem teve a coragem de mentir na cara de pau, deixando de lado quem é conivente com o discurso fraudulento de Dawkins – Por exemplo, a turma que estava assistindo o espetáculo e urrava, apoiando-o.

Ele diz ainda que Dakwins “se atreveu”, mas isso em nada muda o fato de que ele mentiu várias vezes e agiu com desonestidade. Uma coisa não justifica a outra.

E, terminando, diz que está de acordo com o “plano infalível” de Dawkins. Ou seja, não adianta nem mostrar a fraude, pois ele já viu, optando por aceitar as mentiras.

E não é a primeira vez

Tivemos a mesma situação, em vários outros casos, de apoio incondicional dos ateístas a desonestidades que estavam a favor do ateísmo.

Vejam este tópico da comunidade “Richard Dawkins Brasil”, em que uma entrevista de Bertrand Russel é o tema central. Mesmo com a entrevista sendo uma salada de falácias (por parte de Russel), o apoio foi total, como é facilmente percebido pelas declarações dos foristas. Alguns exemplos:

  • Aplausos para o grande herege!
  • esse foi o cara
  • Um dos melhores conjuntos de todos os conjuntos que se contêm a si próprios como membro.
  • Uma aula de consciência e razão.
  • Magnifico!!!
  • Belo exemplo de simplicidade e lucidez…

Lembrando: As falácias de Russel também foram identificadas pelo Luciano.

No tópico acima, vocês podem ver que o mesmo aconteceu no site da LIHS, não apenas uma vez.

Um texto lá publicado também desligou o senso crítico ateísta. Texto que está repleto de frases de efeito e de auto ajuda, ilógico.

Mais um caso

Desta vez, é Sam Harris. Ele publicou um texto intitulado 10 myths and 10 truths about atheism (Em português: 10 mitos e 10 verdades sobre ateísmo), que foi traduzido pela LIHS.

À época, eu não tinha ainda este blog, mas já contribuía com outros blogs teístas comentando. Eu também costumava acessar o Bule Voador com maior frequência. E caí nesse texto de Harris. Ao ler os comentários notei exatamente o mesmo comportamento, a mesma ausência de senso crítico dos casos anteriores.

Até fiz uma lista. Vocês podem conferir estes comentários na íntegra, na entrada publicada pela LIHS com a tradução.

Alexandre: “Perfeito, nada mais tenho a dizer.”

Pedro Almeida: “Texto impecavel o de Sam Harris. (…) Eu acho q ele é um ateu mt bem embasado e meu preferido no momento, mais que Dawkins, já q Harris entra mais fundo na filosofia, experiencia humana e ciência geral (…).”

Gláucio Pigati: “Achei o texto perfeito. Concordo em gênero, número e grau. (…)”

Alex: “Ótimo texto. (…) Gosto muto dos textos e videos de Sam Harris. Muito bons!”

Homero: “Texto perfeito, claro, conciso e extremamente racional e lógico. (…) O texto acima explica muito bem o ateísmo e o pensamento ateu. (…)”

Erik Ferrari: “Os textos do Bule são excelentes!!! Parabéns!”

rayssa gon: “muito bom o texto. nós, como ateus, lendo isso, devemos sentir orgulho. pelo menos é como eu me sinto.”

Nota-se que não é apenas falta de senso crítico. É também apoio às desonestidades.

E não adianta mostrar a refutação: É perda de tempo, pois eles negam que haja desonestidade. É como se não pudessem admitir que Harris está errado, uma forma de fanatismo.

Conclusão

Não há como discutir ateísmo com neo ateus. Eles nunca assumem a invalidez dos argumentos apresentados por outros ateus. Alguns ateus clássicos ainda admitem, mas a maioria apenas “deixa passar mesmo”.

Não importa o tamanho da mentira: Ela sempre segue válida, desde que possa ser utilizada para pregar ateísmo, militar contra os teístas e contra os religiosos, enfim. Não adianta expôr, pois eles irão fazer de conta que não estão vendo nenhum tipo de desonestidade.

Também não adianta promover um debate sobre o assunto, pois o autor (Richard Dawkins) foge de qualquer debate que não tenha interesse.

O jeito é passar a informação adiante…

*Não são 27 mentiras exatamente, mas sim 27 desonestidades intelectuais principais.

Read Full Post »

Essa imagem eu já conhecia faz tempo. Lembrei-me quando a vi no site Atheist Central.

Provavelmente, o autor do quadro motivacional (que é moda na internet faz tempo) é um ateu que tenta ironizar o fato de que grandes nomes eram ateístas.

Da esquerda para a direita, de cima para baixo, temos: Ernest Hemmingway, Abraham Lincoln, Carl Sagan, Mark Twain, Thomas Jefferson, Benjamin Franklin, Albert Einstein, e Charles Darwin.

Confesso que eu não conhecia a respeito de todas as figuras (em relação ao ateísmo), mas já sabia que Einstein, Franklin e Darwin com certeza estavam fora da lista. Mesmo assim, não fiquei surpreso ao ver que há apenas dois ateus de fato na imagem – Ernest Hemmingway, que será referido no final, e Carl Sagan.

Achei algumas fontes no próprio Atheist Central, mas não todas. Recomendo a leitura do original (já referido no início) se o leitor enteder bem o inglês.

Enfim, vamos aos “ateus”:

Abraham Lincoln

Depois de analisar uma série de declarações de Lincoln, só um sem vergonha poderia afirmar ou defender que ele foi ateu.

Mark Twain

Mesmo sendo um crítico da religião, não é o que podemos chamar de ateu:

God puts something good and loveable in every man His hands create.

None of us can be as great as God, but any of us can be as good.

Benjamin Franklin

Outro que não estava nem perto de ser ateu.

It is that particular wise and good God, who is the author and owner of our system, that I propose for the object of my praise and adoration.

Thomas Jefferson

Em uma de suas declarações, ele diz o seguinte:

But I have ever thought religion a concern purely between our God and our consciences, for which we were accountable to him and not to the priests.

Ou seja, está longe de ser ateu.

Albert Einstein

Este já havia se defendido das declarações alheias:

In view of such harmony in the cosmos which I, with my limited human mind, am able to recognize, there are yet people who say there is no God. But what makes me really angry is that they quote me for support of such views.

Charles Darwin

Mesmo sendo um dos ídolos do ateísmo moderno (neo ateísmo) por causa de seus estudos sobre evolução, a ponto da data de nascimento dele ser escolhida como a data do orgulho ateu*, Darwin não era ateu.

When thus reflecting I feel compelled to look to a First Cause having an intelligent mind in some degree analogous to that of man; and I deserve to be called a Theist.

Conclusão

Nada de novo.

Apenas neo ateus usando a ferramenta da internet para fazer propaganda do ateísmo, inflando o número de ateus.

E, claro, excluindo a história de Ernest Hemmingway, que não parece ser uma boa propaganda, e a de Sagan, um crente em vida alienígena (Isso porque Sagan dizia-se cético. Hawkings tem para quem puxar…)

*Eu sei que o que a ATEA quase sempre não representa os ateus. E nesse caso, tenho quase certeza, pois pouca gente foi consultada sobre o assunto. Estou a falar de um caso isolado.

Read Full Post »

Estava eu a ver uns tópicos da comunidade Debates: Religião e Ateísmo quando me deparei com um sujeito chamado “m2s” falando um monte de bobagens sobre Design Inteligente e Evolucionismo.

O deslize é comum, e por isso mesmo estou a colocá-lo aqui no blog. Vai servir para refutar mais gente depois, não só por mim. Além disso, fiquei um bom tempo sem publicar, voltando já.

Vamos ao que ele disse, que pode ser conferido na íntegra – é preciso ter conta ou estar ligado ao Orkut. Caso ele apague, há aqui a transcrição:

Procure mencionar em sua aula sobre a inutilidade do apêndice, sobre a falha crepuscular do ponto cego que existe nos olhos humanos, e sobre a extensão inócua do nervo vago, principalmente na girafa!

Tente conciliar esses ”erros” grotescos com o seu Inteligent(?) Design!

Boa aula aos seus pupilos, meu caro!

Acho que não é novidade para ninguém que o conhecimento de biologia de muitos ateus por aí (principalmente neo ateus) não é muito bom. Lembrando que quase todos querem dar aulas de biologia, e costumam citar a evolução como alternativa à criação (ou seja, já começam errando).

Isso vai desde o neo ateu “recém convertido” por Dawkins até Hitchens (debatendo com Craig). Esse debate será publicado aqui, apesar de não ser difícil encontrá-lo na internet.

É claro que a inépcia (que é comum aos neo ateus, embora eu não possa afirmar que o sujeito em questão é neo ateu ou não) em ciência acaba sendo motivo de constrangimento mais tarde. Pois é suposto que alguém entenda o assunto que discute.

Eu já deixei de tratar de vários assuntos por não ter um conhecimento aprofundado. Fazer isso não é motivo de vergonha para ninguém. Se o ateu não entende evolução ou biologia (ou só entende o que lê em sites ateístas) a ponto de defender tais alegações como fatos, é quase tão desinformado quanto quem alega que “o homem veio do macaco”.

Enfim, vamos ao esclarecimento, pois esperar que ele corrija seu erro por si só é tempo jogado no lixo.

Confesso que não é a primeira vez que leio esse tipo de bobagem sobre o apêndice. Parece que o sujeito tem preguiça de ir ao Google ou a outro motor de busca e pesquisar. É essa a impressão que dá.

Inutilidade do apêndice

O apêndice tem pelo menos uma função clara. Tal função pode ter diminuído com o passar do tempo, só que está longe de ser uma treta para os cristãos.

Tal informação não é tão recente. E mesmo assim, há repetição ad nauseam em sites e blogs ateístas ou darwinistas.

É claro que o neo ateu quase sempre vai se defender alegando que, mesmo tendo uma função, o apêndice é um órgão vestigial. Ou seja, é um órgão vestigial porque é um órgão vestigial, ou outro tipo de raciocínio circular.

Desnecessário dizer que esse tipo de “vestígio” está de acordo com o modelo criacionista. De qualquer forma, dizer que o apêndice não tem uma função – ou que não tem uma “função clara” – é mentir.

Ponto cego

Essa alegação do ponto cego ser um defeito parece que virou mania. Até mesmo Dawkins critica a visão humana, sem muito sucesso.

O ponto cego ocupa menos de 0,25% do campo de visão. Além disso, um olho cobre o ponto cego do outro.

A estrutura “invertida” dos olhos dos vertebrados, em comparação aos olhos de cefalópodes (lulas, por exemplo) é mais complexa e eficiente. A diferença principal é que a visão dos vertebrados está mais suscetível a sofrer danos pela incidência de luz solar.

A estrutura dos olhos dos vertebrados está pronta para se recuperar dos danos causados. A luz que incide no fundo dos oceanos é muito menor do que a luz à superfície. Lulas não precisam de uma retina “invertida”, ao passo que nós dependemos dessa suposta inversão para regeneração.

Mais informações aqui.

Nervo vago

Este é mais recente. Eu já tinha ouvido falar, mas ainda não tinha investigado.

O nervo vago ele abastece partes do coração, músculos da traqueia e membranas mucosas, e o esôfago. Isso pode explicar seu trajeto*:

As the recurrent nerve hooks around the subclavian artery or aorta, it gives off several cardiac filaments to the deep part of the cardiac plexus. As it ascends in the neck it gives off branches, more numerous on the left than on the right side, to the mucous membrane and muscular coat of the esophagus; branches to the mucous membrane and muscular fibers of the trachea; and some pharyngeal filaments to the Constrictor pharyngis inferior.

Mais informações aqui**.

Novamente, o erro é o desconhecimento do alegador, que não foi atrás de estudar. A impressão que fica é que o sujeito leu em algum canto que o nervo vago é evidência contra o criacionismo e nem se deu ao trabalho de estudar o assunto.

O erro mais comum é considerar o nervo vago somente pelo seu ponto de saída e de chegada. O que não é necessariamente correto (como acabamos de ver).

Conclusão

Os 3 argumentos não passam de 3 enrolações diferentes baseadas na mesma linha de argumentação, que é a do “mau design”. Supostamente, mostrando falhas nos sistemas dos seres vivos, teríamos evidência contra a criação.

A treta, para os neo ateus, é que mesmo mau design é design. Mesmo o mau design necessita de um designer. Não é o design ruim do Ford Edsel ou do Gurgel X-15 que evidencia que não foram projetados.

Lembrando que a ciência não faz juízo de valor sobre questões estéticas.

Quanto à questão do funcionamento, o que sabemos é que copiar o funcionamento e a estrutura dos sistemas dos seres vivos é eficiente. Se ali não há design, por que é que temos de copiar o que ali está? Essa situação encaixa-se muito melhor quando a hipótese de Design por um ser inteligente é considerada (encontramos design onde esperamos encontrar design).

Além disso, podemos notar que os três argumentos são baseados na ignorância. A falácia repete-se:

  1. Não conheço função para o apêndice e não fui estudar sobre ele, logo ele é um órgão vestigial inútil e sem função;
  2. Não conheço como o sistema humano de visão funciona, nem as funções e benefícios da estrutura “invertida” da retina nos vertebrados, logo isso é mau design e prova que Deus não criou a visão;
  3. Não conheço outra função para o nervo vago além do ponto de saída e de chegada, logo ele é uma evidência de mau design e não é consistente com uma criação divina.

O sujeito pode até trocar “conheço” por “conhecemos”, tentando representar a ciência (Como se ele fosse mesmo uma representação da ciência…).

Esse tipo de enrolação acontece em outras áreas científicas, além da biologia – Por exemplo, o “modelo” de Hawkings para a criação do Universo, através da gravidade (não se riam!).

E é claro que quase todos os neo ateus suportam esse tipo de declaração fraudulenta. Até o momento, não vi nenhum ateu criticando a fé de Hawkings, mas provavelmente há alguns que não se deixam enganar – mesmo quando a mentira é uma pregação antiteísta.

*O doutor Jonathan Safarti referiu o nervo vago em seu livro “The Greatest Hoax On Earth? Refuting Dawkins on Evolution” sobre o livro “Gray’s Anatomy”, já referido na refutação.

**A anatomia estudada estende-se, naturalmente, para as girafas e outros vertebrados com pescoço comprido.

Procure mencionar em sua aula sobre a inutilidade do apêndice, sobre a falha crepuscular do ponto cego que existe nos olhos humanos, e sobre a extensão inócua do nervo vago, principalmente na girafa!Tente conciliar esses ”erros” grotescos com o seu Inteligent(?) Design!Boa aula aos seus pupilos, meu caro!

Read Full Post »